Confira os países com maior número de pro players

Foto: Reprodução/Unsplash

Os esportes eletrônicos (ou simplesmente esports) hoje são, sem dúvida nenhuma, uma febre ao redor do mundo. As competições entre pro players (ou jogadores profissionais) de diversas modalidades e nacionalidades fazem o cenário ser bastante chamativo e atraente para grandes investimentos, fomentando cada vez mais seu crescimento. O sucesso das competições faz com que milhares de jogadores sonhem em se tornar profissionais e alguns países acabam ganhando destaque dentro do ecossistema de competitivo, entre eles o Brasil.

Em levantamento feito pela Betway, foram revelados os países com maior número de pro players ao redor do mundo. Nos dados apresentados, fica claro a predominância de três países entre os mais aficionados em competições eletrônicas, que são Estados Unidos, Brasil e China. Enquanto os EUA se mostra uma potência em praticamente todas as modalidades, o Brasil se concentra mais nos jogos de tiro, enquanto a preferência na China é por jogos de MOBA.

Confira os números da pesquisa

A pesquisa da Betway, site de apostas em esports, identificou que a Suécia lidera o ranking de nações com maior número de pro players em Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). Já em Dota 2 e League of Legends, a China está no topo, enquanto no VALORANT a maioria dos profissionais é dos Estados Unidos, seguido do Brasil.

No FPS da Valve são, ao todo, 2.940 players que jogam de forma profissional. O número alto já é se esperar, pois o cenário competitivo existe há mais de 20 anos. O país sueco aparece na primeira posição, com 328 jogadores. Logo atrás vem os EUA com 212, e em terceiro lugar o Brasil, com 196 representantes.

  1. Suécia: 328 profissionais
  2. EUA: 212 profissionais
  3. Brasil: 196 profissionais
  4. Dinamarca: 154 profissionais
  5. Alemanha: 154 profissionais

Já em Dota 2, a China é o grande destaque, com exatamente 266 pro players ativos. Em seguida está a Rússia, com 175 jogadores, e os Estados Unidos, por sua vez, aparecem em terceiro lugar, com 121 representantes. Nesta modalidade, o Brasil figura apenas na oitava colocação do ranking, o que pode ser considerada até uma posição relevante, levando em conta a pouca visibilidade do MOBA a nível nacional, com 56 atletas competindo.

  1. China: 266 profissionais
  2. Rússia: 175 profissionais
  3. EUA: 121 profissionais
  4. Filipinas: 86 profissionais
  5. Ucrânia: 84 profissionais

Em League of Legends, são mais de 2.597 jogadores disputando as diversas ligas ao redor do mundo, sendo a maior parte deles na Europa. Contudo, quem está no topo do ranking é a China, com 232 atletas. Com uma diferença de somente 32 jogadores, a Coreia do Sul, outra potência na modalidade, aparece com 200 pro players. Os EUA ocupam a terceira posição na modalidade, com 164 jogadores, enquanto o Brasil está na quarta posição, com 146 profissionais.

  1. China: 232 profissionais
  2. Coreia: 200 profissionais
  3. EUA: 164 profissionais
  4. Brasil: 146 profissionais
  5. Turquia: 113 profissionais

Caçulinha dos jogos competitivos, o VALORANT tem nada menos que 1.846 atletas participando de seus torneios. Nessa modalidade, quem lidera são os EUA, com 278 competidores profissionais. O Brasil vem logo em seguida, na segunda colocação, com 130 atletas. A Turquia, por sua vez, fecha o top 3, com 95 players no FPS da Riot Games.

  1. EUA: 278 profissionais
  2. Brasil: 130 profissionais
  3. Turquia: 95 profissionais
  4. Coreia: 91 profissionais
  5. Canadá: 82 profissionais

Brasil em evidência nos FPS

O Brasil sempre se destacou nos jogos de tiro, em especial no Counter-Strike e no Rainbow Six, onde já foi diversas vezes campeão mundial. Até por isso, não assusta a grande popularidade que este tipo de modalidade tem no país. No VALORANT, o cenário brasileiro está começando a crescer agora, principalmente por conta do sucesso da LOUD, que foi vice-campeã mundial em 2022.

Fato curioso é que a equipe conta com um argentino no elenco. Mathias “Saadhak” Delipetro é o capitão e mentor do vitorioso elenco de maioria brasileira, e vem deixando o seu nome na história da modalidade. Além da LOUD, a FURIA também conta com quatro jogadores brasileiros e um argentino na lineup.

Mathias “Saadhak” Delipetro, capitão da LOUD, é argentino e um dos principais nomes do VALORANT brasileiro (Foto: Bruno Alvares/Riot Games Brasil)

Já em relação ao CS:GO, o número de pro players brasileiros ultrapassa a soma de outros países das Américas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos neste quesito. Contudo, em competições na América do Norte, o número de jogadores do Brasil hoje é bem alto e às vezes ultrapassa o de norte-americanos, mostrando a forte potência que o país se tornou na modalidade.

Vale destacar, ademais, que o Brasil conquistou o mundial da modalidade duas vezes em 2016, o que ajudou no crescimento do esporte a nível nacional. No último Major, o da Bélgica, o país foi o terceiro que mais levou jogadores, atrás apenas de Dinamarca e Rússia.

nacionalidade pro players
SK Gaming erguendo o título do ESL One Major Cologne em 2016 (Foto: HLTV.org)

Público brasileiro de LoL se destaca

Mesmo sem tanta expressividade internacionalmente, o Brasil é o quarto maior país em número de jogadores no League of Legends. A região, inclusive, tem uma das maiores audiências no mundo, com o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL) ultrapassando em número de espectadores grandes ligas como a PCS (Sudeste Asiático) e a VCS (Vietnã), e chegando perto da LCS (América do Norte).

China é potência no MOBA

Um dos países que mais consome esports no mundo, a China figura principalmente no gênero MOBA, liderando em Dota 2 e League of Legends. Nessas modalidades, o país conta com pelo menos três títulos do The International e do League of Legends World Championship, campeonatos mundiais das respectivas modalidades. No título da Riot Games, a região tem a maior audiência do mundo.

Atual bicampeã, RNG é a maior campeã do Mid-Season Invitational (Foto: RNG/Riot Games)

Em campanhas mais recentes, a China conquistou os títulos do Mid-Season Invitational de LoL em 2021 e 2022 com a Royal Never Give Up e do Mundial da temporada passada com a Edward Gaming. Fora isso, foi vice-campeã com a PSG.LGD do The International 2021, competição com maior premiação da história, distribuindo mais de US$ 40 milhões aos participantes.

edg casas elenco
EDG posando ao lado do troféu de campeão Mundial de League of Legends em 2021 (Foto: Collin Young-Wolff/Riot Games)

Já no quesito FPS, o país asiático não tem tanto destaque competitivo ou até mesmo audiência nos principais títulos do gênero. Mesmo disputando torneios expressivos como o Major de CS:GO, a China sequer chega a passar da primeira fase.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.