Em meio a acusações de abuso de poder e chantagem, Redeye deixa a cena de esports

Paul “Redeye” Chaloner é uma das figuras mais conhecidas no mundo dos esports. Comentarista desde 2002, quando fazia parte das transmissões de Unreal Tournament e Quake 3, Redeye sempre foi visto como uma das lendas das bancadas. Atualmente, ele era presença constante no The International, servindo como apresentador do evento nos últimos dois anos.

Entretanto, sua história tem sido manchada por recentes acusações de abuso de poder e chantagem. A voz contra Redeye partiu do também comentarista internacional James Banks, bastante conhecido no cenário de CS:GO. Banks afirma que Chaloner ameaçou “destruir sua carreira” caso não seguisse o que ele falava e por conta disso, desenvolveu depressão e ansiedade profunda.

James Banks (Foto: PUBG Corp)

Caso de abuso de poder

O caso ocorreu após um campeonato de CS:GO em que Banks cometeu uma gafe. Por conta disso, Redeye disse que ele não era “bom o suficiente” para o papel de comentarista e que iria retirá-lo da bancada. No entanto, Banks tinha contrato de um ano com a organizadora e não aceitou a decisão.

“Ele me disse que eu deveria ouvi-lo, caso contrário, ele garantiria que eu nunca mais conseguisse trabalhar na área. Essa foi a primeira vez que lidei com o lado ruim de Redeye”, disse Banks.

Em sua história, o comentarista contou que Redeye usou de sua influência e poder para mantê-lo longe de reuniões e de novas oportunidades, e limitou-o ao papel de entrevistador. Por conta disso, Banks desenvolveu uma profunda depressão, que resultou, inclusive, em múltiplas tentativas de suicídio.

Em face das acusações, Redeye respondeu em uma grande carta. Nela, ele afirma que nunca falou para Banks que ele deveria ouvi-lo ou não trabalharia na cena de esports de novo. Entretanto, ele confirma que decidiu internamente junto com a organizadora de retirá-lo do papel de comentarista porque “não era bom o suficiente”.

“Decidimos deixá-lo como entrevistador, um papel em que ele era muito bom e que demonstrou grandes habilidades durante todo o evento”, disse Redeye.

Acusação de agressão

Além das acusações de chantagem e abuso de poder, Banks também contou uma história em que Redeye socou um funcionário da Gfinity, empresa que desenvolve diversos negócios no ramo dos esports. O caso teria acontecido em 2015.

Redeye, no entanto, negou a versão de Banks. Ele confirma que houve uma “discussão fervorosa” com um colega de trabalho e que chegaram a ficar “cara a cara”, mas nenhum dos dois chegou de fato a cometer um ato de agressão física.

“O incidente aconteceu durante o horário normal de trabalho na Gfinity com um colega de nível gerencial, em que discutimos sobre algo (cujo assunto eu nem me lembro). Depois, a discussão ficou cada vez mais quente até ficarmos cara a cara e gritar um ao outro. Nenhum de nós deu um soco um no outro. Nós dois fomos embora, discutimos com a gerência no dia seguinte, pedimos desculpas um ao outro e seguimos em frente”, contou.

Saída dos esports

Mesmo tendo rebatido as acusações, Redeye tomou a decisão de deixar a cena dos esports para sempre.

Segundo nota emitida, Chaloner chegou próximo de cometer suicídio ao ver que sua família tinha sido envolvida na situação. “Nas últimas 24 horas, cheguei muito perto de tirar minha própria vida e sinto que me retirar [da cena] para lidar com todos esses problemas é a única maneira de sobreviver. Estou totalmente quebrado nesse momento”, disse.

Assim, Redeye não será mais apresentador de eventos de esports e nem trabalhará mais no ramo. Além disso, ele também está deixando o cargo de diretor na Code Red, agência de consultoria em esports.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias