VCT Brasil 2022 chama a atenção com pistol rounds e uso da arma Ghost pelos jogadores

Foto: SeanDo/Unsplash

O VALORANT foi o jogo mais recente a ganhar espaço no cenário dos esports nacional. Isso foi confirmado pelo sucesso do Champions Tour Brasil 2022, que teve dois estágios disputados no primeiro semestre. As disputas reuniram diversos fãs e mostraram como está o nível dos jogadores locais. Por exemplo, algo que chamou a atenção foi a intensidade dos pistol rounds e o uso de algumas pistolas com mais frequência. Uma estratégia que pode garantir boas disputas também no cenário internacional.

A primeira etapa foi disputada entre fevereiro e março deste ano, totalmente online, e reuniu as 10 melhores equipes brasileiras de VALORANT da atualidade. Uma boa parte dos confrontos foi equilibrada, mas o domínio da LOUD foi inquestionável. O aproveitamento foi de 100% nas sete partidas disputadas, e o título veio com certa facilidade. A segunda posição ficou com a Ninjas in Pyjamas e a Keyd Stars fechou o pódio. Esse resultado garantiu a classificação da LOUD para a fase Masters, onde a equipe brasileira acabou eliminada com duas derrotas.

Isso significa que o Brasil ainda precisa evoluir no jogo, sobretudo para oferecer mais resistência contra os estrangeiros. Uma estratégia interessante pode ser o uso dos pistol rounds para ditar o ritmo. Essa foi uma conclusão feita pela equipe do blog Betway Insider, que acompanhou de perto todas as ações do VCT Brasil 2022. Alguns jogadores se destacaram nos pistol rounds, e as melhores equipes usaram disso para ganhar algumas partidas. Isso pode resultar em algo positivo no futuro.

Segundo o artigo feito pelo blog, a Keyd e a NIP se destacaram em vitórias nos rounds iniciais, onde só as pistolas são usadas. Olavo “heat” Marcelo, com 27 abates, e Walney “Jonn” Reis, com 22 pontos, foram os líderes neste quesito e garantiram vantagens importantes no decorrer da competição. O terceiro que mais abateu, com 21, foi Leonardo “mwzera” Serrati, companheiro de heat na Keyd. Não é coincidência que as duas equipes terminaram entre as três melhores do VCT Brasil.

Armas mais escolhidas

Além da importância dos pistol rounds, também foi possível aprender um pouco mais sobre a preferência de alguns jogadores nestas rodadas. Por exemplo, a pistola Ghost foi selecionada 254 vezes, a mais popular entre os jogadores brasileiros de VALORANT. A vantagem para a segunda colocada, a Classic, foi de 113 escolhas nos mapas disputados. Uma diferença grande, que mostra como os times se comportaram em 2022.

Enquanto isso, a Sheriff, a Frenzy e a Shorty somaram juntas apenas 47 escolhas. Elas são preteridas pelos jogadores brasileiros, seguindo uma tendência que acontece também nas competições estrangeiras. Esses dados foram todos levantados pela equipe da Betway, site de apostas no VALORANT, e podem ajudar a entender melhor como funcionam as partidas por aqui. A vitória no pistol round é algo importante, principalmente para ditar o ritmo dos outros rounds.

Na final do primeiro estágio, por exemplo, a LOUD usou dessa estratégia em quase todos os mapas e venceu a NIP por 3 a 0. Durante a disputa no estágio Ascent, os campeões conseguiram vencer quatro rounds seguidos logo após vencerem o pistol. Isso sacramentou a vitória no mapa e também o título. É um domínio que também atinge mentalmente a outra equipe, que fica em posição inferior desde o início.

Escolha dos mapas

Outra análise feita pelo blog é focada na escolha de mapas, com os jogadores brasileiros mostrando uma clara preferência por alguns. O Icebox foi escolhido 13 vezes, enquanto o Ascent foi jogado 12 vezes no Champions Tour Brasil. Eles foram os mais populares, e deixaram para trás o Split, o Bind e o Fracture, que somados foram escolhidos 13 vezes. Ou seja, existe uma preferência clara neste quesito, que talvez seja algo a melhorar.

A LOUD e a NIP foram as mais beneficiadas com isso, pois conseguiram bons números nestes mapas. Os abates pelos jogadores foram mais altos, por isso as vitórias vieram com mais tranquilidade. Entretanto, na decisão, o Icebox ficou de fora e os campeões conseguiram tirar mais vantagem no Ascent. São estratégias que ainda vão se desenvolver com mais competições.

O VALORANT ainda é um jogo novo, com menos de três anos de existência. Por isso, ainda é cedo e o Brasil pode conseguir destaque mais para frente. Inclusive, o VCT Brasil mostrou alguns pontos positivos que os jogadores locais estão apresentando, como os pistol rounds.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.