Deposite $10 e ganhe mais $10

A função de capitão do time é uma das mais difíceis e exaustivas, e isso se deve muito ao trabalho fora do servidor, com as constantes análises dos jogos. Em teoria, quem assume a capitania é um jogador que já fez essa função anteriormente ou que tenha bastante experiência. Entretanto, há alguns casos que fogem à regra, e novos talentos assumem o papel de in-game leader sem medo. Assim, apresentaremos três jovens jogadores que estão se destacando na função de capitão e ganhando notoriedade internacionalmente.

Aleksib

Finlandês em sua primeira passagem pela ENCE (Foto: HLTV)

Aleksib é um dos nomes mais falados quando o tema é jovens capitães. Iniciou a sua carreira na ENCE em agosto de 2016, mas em novembro do mesmo ano saiu do time. Ele seguiu para outra equipe finlandesa, a HAVU, onde ficou de maio de 2017 até março de 2018.

Quando o jogador começou a chamar atenção na HAVU, ele foi convidado para capitanear novamente a ENCE, em abril de 2018. A equipe ficou marcada pelo regresso de Allu ao cenário finlandês, depois de passagens por FaZe e OpTic. Com este time, Aleksib venceu a StarSeries i-League Season 6 e no primeiro Major da organização, alcançou a grande final contra Astralis.

Depois do feito incrível, o time finlandês venceu a BLAST Pro Series Madrid derrotando a própria Astralis e quebrando a invencibilidade do quinteto dinamarquês na Nuke, de 37 vitórias em sequência.

ENCE após vencer a BLAST em Madrid (Foto: BLAST)

Sunny por Aleksib e o descalabro começa

Sunny, por muitos considerado o melhor jogador finlandês, estava no banco da mousesports e a inclusão do mesmo na super equipe finlandesa era vista como necessária. Acabou por ser Aleksib o eleito para dar lugar ao jogador. A troca, no entanto, é vista hoje como uma das piores já realizadas.

Depois disso, Aleksib ficou como um dos nomes mais chamativos do mercado. O time da OG, multicampeã no Dota 2, desejava entrar no Counter-Strike e acertou com o finlandês para liderar o seu projeto no CS:GO.

Aleksib na estreia no seu novo time na cs_summit 5 (Foto: Beyond the Summit)

A ENCE, por sua vez, sentiu a saída do ex-capitão, caindo abruptamente não só a sua performance dentro do servidor como no ranking da HLTV. Em setembro de 2019, com Aleksib no time, o quinteto finlandês chegou ao top 3 do mundo. Atualmente, ocupa a vigésima segunda colocação e está em constante queda.

Já a OG, ultrapassou rapidamente a ENCE no ranking e ocupa agora o 19º lugar. Na BLAST Premier, a equipe conseguiu avançar de fase em um grupo composto por Evil Geniuses, 100 Thieves e G2 Esports. O futuro é esperançoso para o capitão finlandês e seu novos companheiros.

BlameF

BlameF na sua estreia profissionalmente (Foto: HLTV)

Benjamim Bremer começou a sua carreira no time dinamarquês Great Danes. As suas incríveis estatísticas fizeram que, em junho de 2018, fosse chamado para representar a Epsilon, onde ficaria até janeiro de 2019.

Peacemaker, atual coach da MAD Lions, juntava-se à Heroic no final de 2018 para ser o novo treinador do time. O mesmo realizou profundas alterações dentro da lineup, retirando o lendário MODDII, que era o in-game leader na época.

O coach brasileiro viu em BlameF características que se encaixavam com o que pretendia para o time. O jogador não vinha inicialmente com o propósito de ser o capitão, mas rapidamente lhe foi atribuída tal função. Com sua liderança, a Heroic atingiu o décimo quarto lugar no ranking da HLTV.

BlameF na Heroic (Foto: HLTV)

Líder do Juggernaut

As boas atuações do IGL dinamarquês não passaram despercebidas e BlameF foi o escolhido para liderar o ‘juggernaut da Complexity, numa compra feita por um valor bem alto, porém não revelado. A evolução da equipe com o dinamarquês foi notória, com destaque para a atuação na BLAST Premier, onde conseguiu passar de fase deixando para trás Astralis e Vitality.

nexa

nexa no início da sua carreira, quando atuava pela Renegades (Foto: HLTV)

O caso de nexa é peculiar porque diferentemente dos outros jogadores já citados, ele começou a sua carreira bem novo e hoje já tem alguma bagagem, apesar de ainda ser jovem. O jogador teve a sua primeira aventura com o time da iNation em 2015, com players da sua mesma nacionalidade (Sérvia). Em abril de 2017, foi chamado para o time da Renegades, mas sua passagem não foi muito bem sucedida, durando apenas até julho do mesmo ano.

Assim, em novembro, o sérvio se juntaria com outros jogadores que também estavam sem time para formar um ‘mix’, que deram o nome de MANS NOT HOT. Em março de 2018, o elenco viria a ser contratada pela Imperial.

Imperial: instabilidade, mas um título conquistado

Este novo time foi marcado pela instabilidade em manter seus quintetos. No entanto, ainda teve um ponto alto durante a DreamHack Open Summer de 2018, que culminou com a conquista do título. EspiranTo teve uma ótima atuação e levou a medalha de MVP.

Ainda assim, após o título, surpreendentemente EspiranTo pediu para ser movido para o banco de reservas por não concordar com os métodos do capitão kRYSTAL. Dessa forma, a organização da Imperial acabou afastando kRYSTAL e também Tenzki, colocando em seus lugares pounh e hAdji.

nexa disputando a DreamHack que viria a vencer (Foto: DreamHack)

Novo time, novos rumos

Depois do alvoroço, a Valiance aproveitou todo o atrito e abordou EspiranTo e nexa para se juntarem a huNter e LETN1, que já estavam no time, e a ottoNd, ex-HAVU.

O novo time teve resultados muito positivos, como o título da United Masters League Finals. A Valiance também disputou a DreamHack Open realizada no Rio de Janeiro, chegando na semifinal. Além disso, chegou à final da DreamHack Open Tours, tendo sido derrotada pela mousesports.

Em junho de 2019, a Valiance passou a se chamar CR4ZY. Sob a nova marca, o time conseguiu chegar no Major da Starladder, realizado em Berlim do ano passado, onde foi uma das grandes surpresas do torneio.

O time, capitaneado por nexa, conseguiu chegar na fase Challengers vindo do Minor, vencendo grandes elencos no caminho como FaZe, FURIA e NiP.

nexa competindo no Major (Foto: HLTV)

G2 ponto mais alto da carreira de nexa

O trabalho de nexa não passou despercebido e o mesmo foi convidado em setembro do ano passado, junto de huNter, para fazer parte do projeto internacional da G2 Esports. Com as novas adições, o time chegou à final da cs_summit 5 e venceu a Champions Cup Finals.

Entretanto, os destaques vão para as performances neste início de 2020, como a atuação na BLAST Premier, onde o time não perdeu uma única melhor de três num grupo com Evil Geniuses, 100 Thieves e OG Esports. A participação na IEM Katowice foi igualmente fantástica, onde chegou à final tendo derrotado 100 Thieves, mousesports, Team Liquid e Fnatic. Contudo, a equipe foi abafada na decisão pela incrível fase da Na’Vi. Este foi um dos melhores torneios de nexa estatisticamente falando.

Assim, o trabalho de nexa nos times por onde passou tem de ser enaltecido, com destaque especial para este último, G2, onde a evolução foi vertiginosa. Isso porque o jogador não começou a carreira sendo in-game leader.

Deposite $10 e ganhe mais $10
nexa com uniforme da G2 (Foto: HLTV)

2 Comentários

Deixe seu comentário