Dota 2: Guia do The International 10

spot_imgspot_img

Começa nesta quinta-feira (7) um dos maiores eventos de esports do ano, o The International 10. O torneio vai reunir as 18 melhores equipes do mundo, que brigarão pela premiação total que ultrapassa os 40 milhões de dólares. O evento vai contar com os brasileiros da SG Esports.

O The International 10 acontece em Bucareste, na Romênia, e devido ao aumento de casos de Covid-19 no país, não terá público presente. 

Formato

O torneio seguirá o mesmo formato da sua edição passada. Assim, vai contar com uma fase de grupos, com dois grupos de 9 equipes cada. Nesta etapa, todos os times do grupo jogam entre si em formato melhor de 2.

Os quatro melhores colocados passam para a chave de cima, o última colocado é eliminada e os restantes vão para a chave de baixo dos playoffs, que, por sua vez, serão disputados em formato de eliminação dupla. Durante esta etapa decisiva, as equipes se enfrentam em séries melhores de 3 (MD3). Por fim, a grande final será no dia 17 de outubro e será uma melhor de 5 (MD5).

Confira abaixo como ficou a divisão dos grupos desta edição.

Grupo A: Alliance, Evil Geniuses, Invictus Gaming, OG, T1, Team Aster, Team Undying, Thunder Predator e Virtus.Pro.

Grupo B: SG, Beastcoast, Elephant, Fnatic, PSG.LGD, Quincy Crew, Team Secret, Team Spirit e Vici Gaming.

Premiação

Confira como ficou a distribuição da premiação total de US$ 40,018,195 (valor/porcentagem do total).

1° lugar – $18,208,300 (45.5%)
2° lugar – US$ 5,202,400 (13%) 
3° lugar – US$ 3,601,600 (9%)      
4° lugar – US$ 2,401,100 (6%)        
5°-6° lugares – US$ 1,400,600 (3.5%)
7°-8° lugares – US$ 1,000,500 (2.5%)   
9°-10° lugares – US$ 800,400 (2%) 
13°-16° lugares – US$ 600,300 (1.5%)
17°-18° lugares – US$ 100,000 (0.25%)

SG Esports

O Brasil volta a ter uma equipe representante depois de ficar de fora do TI9. No entanto, essa é a primeira vez que uma formação com 5 brasileiros vai jogar o The International, uma vez que em 2018, a paiN Gaming contava com o mid laner romeno Aliwi “W33”. Assim, a SG Esports chega ao TI10 com Thiago “Thiolicor” (suporte), Guilherme “Costábile” (hard carry), Adriano “4dr” (mid laner), Matheus “KJ” (capitão e suporte), além do experiente offlaner Otávio “Tavo”.

sg esports the international
A SG é a primeira equipe formada apenas com jogadores brasileiros a se classificar para o The International (Foto: Reprodução/SG Esports)

A equipe terminou o Dota Pro Circuit (DPC) em baixa, fugindo do rebaixamento na liga sul-americana no último jogo. Entretanto, na classificatória regional para o The International 10, a SG mostrou jogos muito consistentes e boas leituras de draft, perdendo apenas duas partidas em todo o percurso. 

Os brasileiros acabaram não jogando nenhum Major na temporada, assim não tiveram nenhuma experiência fora da sua região durante o DPC. Porém, participaram da ESL One Fall e da OGA Dota Pit Invitational. Mesmo não conseguindo ficar nas primeiras posições, mostraram que conseguem ser competitivos contra as melhores do mundo. Assim, os brasileiros vão tentar surpreender o mundo, mesmo sendo considerados como uma das equipes mais fracas do torneio.

Alliance

Depois de uma campanha frustrante no TI9, os reis do norte reformularam toda sua formação para a disputa do DPC 2020/2021. Assim, a equipe conta com o hard carry Nikolay “Nikobaby”, o mid laner Linus “Limmp”, o capitão e offlaner Gustav “S4” e os suportes Simon “Handsken” e Artiom “fng”.

A equipe dominou a região europeia, terminando na segunda colocação na primeira temporada e terminando em primeiro na segunda temporada. No entanto, os resultados internacionais foram muito diferentes, na ONE Singapore Major foi eliminada ainda na fase de grupos e sem vencer nenhum confronto, acumulando 4 empates e 3 derrotas. Na AniMajor começou já nos playoffs, mas perdeu suas duas primeiras séries e foi prontamente eliminada. Assim, a organização vencedora do TI3 chega com muitas desconfianças e uma perspectiva pouco positiva.

Beastcoast

A equipe sul-americana possui a mesma formação da Infamous do TI9 que terminou com um histórico top 8. Assim, o time ainda conta com Hector “K1” como seu hard carry, Jean “Chris Luck” na mid lane, Adrian “Wisper” na offlane, Elvis “Scofield” e o capitão Steven “Stinger” como suportes, além disso a brasileira Vitória “Guashineen” continua como manager. 

A Beastcoast teve uma caminhada parecida com a da Alliance, onde dominou a região da América do Sul, vencendo a primeira temporada e depois ficando em segundo na seguinte. Mas sem bons resultados internacionais, na ONE Major a equipe não pode competir por problemas com Covid e na AniMajor foram eliminados na fase de grupos com recorde de 3 empates e 4 derrotas. Dessa forma, os sul americanos buscam mais uma vez surpreender o mundo, mas repetir a campanha passada será um grande desafio.

Elephant

A equipe nasceu com a formação de um “super time” com o intuito de dominar a região chinesa. Dessa forma, o hard carry Zhang “Eurus”, o mid laner Lu “Somnus丶M”, o offlaner Zhang “Yang”, o suporte e capitão Xu “Fy” e o suporte Xie “Super” foram contratados com essa missão.

No entanto, o rendimento da equipe ficou muito abaixo das expectativas, terminando ambas as temporadas chinesas na quinta colocação. Com isso, não conseguiram se classificar para nenhuma das duas Majors da temporada. A equipe acabou sofrendo mais do que deveria nas classificatórias também, chegando na final pela chave de baixo. Assim, a equipe parece viver mais de nome do que de resultados e vão tentar mudar isso no TI10.

Evil Geniuses

O time norte-americano se reforçou com jogadores de outras regiões para o DPC 2020/2021. Assim, o lendário offlaner Daryl “iceiceice” e o prodígio Abed se juntaram ao hard carry Artour “Arteezy”, ao suporte Andreas “Cr1t-” e ao suporte e capitão Tal “Fly” buscando manter a hegemonia da organização na região.

Dessa maneira, a equipe conseguiu se manter no topo na primeira temporada e terminou em segundo na seguinte. No entanto, além de grandes resultados na região, a EG também teve grandes resultados internacionais terminando na segunda colocação tanto na ONE Major quanto na AniMajor. Assim, entram no TI10 como uma das grandes favoritas ao título ou a mais uma segunda colocação no ano.

Fnatic

A equipe do sudeste asiático também passou por uma reformulação em sua formação para o DPC 2020/2021. Agora ela conta com o hard carry Marc “Raven”, o mid laner Ng “ChYuan”, o offlaner Yang “Deth” se juntam a Anucha “Jabz” que antes era o hard carry agora atua como suporte e ao capitão e suporte Djardel “DJ” que são os remanescentes do TI9.

A região do sudeste asiático foi a mais equilibrada do DPC. Isso pode ser notado no rendimento da equipe que venceu a primeira temporada, mas amargou um quarto lugar da seguinte. No entanto, a Fnatic é mais uma que não conseguiu trazer os resultados de dentro da região para fora, onde foi eliminada da ONE Major perdendo seus dois primeiros confrontos. Assim, o time vai precisar se provar, enquanto é um cotados para as últimas posições.

Invictus Gaming

A equipe chinesa ficou de fora do TI9, no entanto manteve praticamente toda a sua formação. Assim, o hard carry Jin “flyfly”, o mid laner Zhou “Emo”, o offlaner Thiay “JT-” e o suporte Chan “Oli” deram boas-vindas ao suporte e capitão Hu “Kaka” no final de 2019.

A temporada do time começou de maneira arrasadora, onde venceu a primeira temporada chinesa e foi campeã do ONE Major. No entanto, na segunda metade a IG pareceu jogar pelo mínimo, onde terminou a segunda temporada chinesa na quarta colocação, o que já lhe rendeu a classificação para o TI10. No AniMajor a equipe jogou desfalcada por conta da Covid e foi eliminada bem precocemente. Assim, com a equipe completa e bem disposta, pode se esperar grandes atuações e uma forte candidata para as primeiras colocações.

OG

Depois do inédito título do TI9, onde foi a primeira equipe a conseguir vencer o The International 2 vezes. Os europeus da OG saíram de férias, mas nem todos voltaram, com Anatham “Ana” e Jesse “JerAx” se aposentando. Agora a equipe vai buscar o terceiro título com o Sumail de hard carry, Topias “Topson” na mid lane, Sebastien “Ceb” na offlane, Martin “Saksa” como suporte e ao lado do capitão Johan “N0tail”.

Com a ausência de Ana e Jerax a equipe não conseguiu grandes performances e resultados, terminando a primeira temporada europeia na quinta colocação e a seguinte em sexto. E mesmo com uma turbulenta classificatória, onde a equipe passou muito perto de estar fora do principal evento do ano, a magia pareceu ter voltado quando a equipe mais precisou. Assim, mesmo sem as mesmas peças e com um ano de DPC bem abaixo do esperado, a história nos ensinou a nunca subestimar ou duvidar da OG no The International. 

PSG.LGD

O time mais badalado do momento, apontado por muitos como a grande favorita para levar o The International 10. A PSG.LGD além de contar com um time recheado de estrelas como o hard carry Wang “Ame”, a grande revelação da temporada Cheng “NothingToSay”, os campeões do TI6 pela Wings Zhang “Faith_Bian” e Zhang “”y`” e o menos badalado, mas, muito eficiente Zhao “XinQ” também conta com o lendário e vencedor do TI4 Zhang “xiao8” como técnico.

Historicamente a PSG.LGD tem começos mais turbulentos de temporadas e dessa vez não foi exceção, na primeira temporada conquistaram um modesto quarto lugar, no entanto na ONE Major a equipe já começou a mostrar a que veio e terminou na terceira colocação. Depois conquistaram a segunda colocação na segunda temporada chinesa e por fim venceram a AniMajor de maneira dominante. Assim, a equipe conta com grandes nomes, vêm embalados por um final de temporada totalmente dominante e pretendem finalmente conquistar a Égide dos Campeões.

Quincy Crew

A equipe do brasileiro Rodrigo Lelis conta com a base que disputou o TI9 pela Newbee. Ou seja, o hard carry Yawar junto do mid laner Quinn e o suporte Arif “MSS” se uniram com o offlaner Lelis e o suporte Arevy “SVG” que se tornou o capitão, para a disputa do DPC 2021

Assim nascia a nova potência norte-americana, que junto da EG dominou a região. Na primeira temporada terminaram em segundo, mas acabaram vencendo a segunda. Os resultados internacionais, no entanto, são muito diferentes da EG, na ONE Major a equipe precisou jogar com um substituto por conta de problemas com a Covid e terminaram eliminados na primeira rodada dos playoffs, na AniMajor terminaram com um honroso sexto lugar, mas com um gostinho de quero mais. Dessa forma, a equipe quer provar que pode ter grandes resultados contra regiões consideradas mais fortes e tem tudo para conseguir isso.

T1

Uma das organizações mais famosas e icônicas do League of Legends também quer fazer seu nome no Dota 2. Para isso construiu uma equipe que mistura nomes experientes da região como o offlaner e capitão Carlo “Kuku”, o mid laner Karl e o suporte Kenny “Xepher” com jovens em ascensão como o hard carry Nuengnara “23savage” e o suporte Matthew “Whitemon”.

A equipe foi a única do sudeste asiático a conquistar a vaga direta para o TI10, com uma campanha onde terminou em terceiro na primeira temporada regional e em primeiro na seguinte, mais a terceira colocação no AniMajor. Assim, a equipe vem de uma grande segunda metade de DPC, com grandes resultados dentro e fora da região. Dessa forma, é possível esperar boas performances da equipe e uma campanha que rivalize ou supere a equipe de LoL no mundial.

Team Aster

A equipe chinesa que dominou a região no DPC 2021 conta com Du “Monet” como hard carry, Liui “DD斩首” na mid lane, Lin “Xxs” na offlane, Ye “Borax” e o experiente capitão Zhang “LaNm”.

Apesar de ter dominado a região, terminando em primeiro e em segundo respectivamente nas temporadas chinesas. A Aster é mais um caso de que não consegue grandes resultados internacionais, além disso, a equipe está sofrendo com uma crise de Covid onde todos os membros, desde os jogadores até a delegação contraíram o vírus. Dessa forma, é difícil acreditar que o time vá muito longe na competição.

Team Secret

Desde sua fundação em 2014, a Team Secret é sinônimo de uma grande equipe e grandes resultados. E está formação não é exceção já que conta com o campeão do TI7 Lasse “MATUMBAMAN” como hard carry, o prodígio Michal “Nisha” na mid lane, o experiente Ludwig “zai” na offlane e conta com Yazied “YapzOr” e o capitão e interminável Clement “Puppey” como suportes. Vale ressaltar que Puppey é o único jogador da história a se classificar para todos os The International e ainda foi o primeiro campeão.

A trajetória da Secret é muito parecida com a da IG, onde foi totalmente dominante na primeira metade, onde terminou em primeiro na liga europeia e depois em quarto lugar na ONE Major. No entanto, na segunda metade joga o suficiente para conquistar sua vaga no TI10 e nada mais que isso, terminando com uma modesta quarta colocação na liga europeia e uma eliminação muito precoce na AniMajor. Dessa forma, todos sabem do que a equipe é capaz e quando motivada parece ser imparável, a Secret entra no TI10 como uma das favoritas e cotadas ao título.

Team Spirit

No The International 10 temos a oportunidade de acompanhar o surgimento de uma nova leva de talentos do leste europeu. Primeiramente a Team Spirit conta com jovens jogadores que atuavam pela Yellow Submarine que são o hard carry Illya “Yatoro”, o mid laner Alexander “TORONTOTOKYO”, o offlaner Magomed “Collapse” e o suporte e capitão Yaroslav “Miposhka”, com eles ainda se juntou entre as temporadas da liga regional, o jovem Miroslaw.

Miroslaw parecia a peça que falta para o time, antes da sua entrada a Spirit terminou em quarto lugar na liga do leste europeu. No entanto com a sua entrada, a equipe conquistou uma sonora segunda colocação onde só perdeu para a Virtus.Pro, no AniMajor a equipe ainda conseguiu terminar no top 8 da competição, colocação acima da rival. Assim, a jovem e explosiva equipe mostra que precisa ser respeitada e entra no TI10 aspirando uma boa colocação.

Team Undying

Os jogadores representam bem o nome do time, uma vez que, são experientes e todos perderam suas equipes por conta da pandemia. No entanto, não desistiram e conquistaram a classificação para o maior evento da história do Dota 2. O mid laner Jonathan “Bryle” junto dos suportes David “MoonMeander” e Kim “DuBu” atuavam pela CR4ZY, organização que encerrou suas atividades no fim de 2020, o offlaner Jonáš “SabeRLight-” atuava pela Ninja in Pyjamas que saiu da modalidade no fim de 2020 e por fim o hard carry Enzo “Timado” jogava pela EgoBoys que foi desmontada também no fim de 2020.

Assim, a equipe da América do Norte terminou as duas temporadas regionais na terceira colocação. Nas duas vezes perdendo no detalhe e ficando de fora das Majors. Mas como o nome bem diz a equipe e seus jogadores se recusaram a desistir e passaram de maneira invicta pelas classificatórias, não perdendo nem uma partida sequer. Dessa forma, mesmo não sendo uma das favoritas, é certo dizer que é uma das mais esforçadas e pronta para conseguir um bom resultado final.

Thunder Predator

A equipe tem sua base formada desde 2019 com o hard carry Alonso “Mnz”, o mid laner “Leostyle-” e o suporte Romel “Mjz”, para a disputa do DPC 2021 chegaram também o offlaner Frank e o suporte e capitão Joel “MoOz”.

Os peruanos sempre foram considerados a segunda potência da América do Sul, atrás apenas da Beastcoast. O time acabou fazendo uma grande primeira metade de temporada com uma segunda colocação na liga regional e um histórico top 5 na ONE Major. No entanto um fraco desempenho na segunda metade e nos torneios pré-TI (ESL One e Dota Pit) acabam colocando em dúvida o quão longe a equipe pode chegar, surpreender o mundo parece cada vez mais um passado muito distante.

Vici Gaming

Historicamente é uma das grandes potências chinesas, sempre com equipes prontas para brigar por títulos. A formação atual é composta pelo hard carry Yang “poyoyo”, Zeng “Ori” na mid lane, Ren “old eLeVeN”, o suporte Xiong “Pyw” e o suporte e capitão Ding “Dy”.

O time não chamou muito atenção durante o DPC, mesmo com bons resultados como ter terminado as duas temporadas da liga chinesa na terceira colocação, o top 8 na ONE Major e a terceira colocação na AniMajor. Dessa forma, a equipe está passando um pouco fora dos radares, uma vez que, todos os holofotes estão focados na PSG.LGD, Evil Geniuses e Team Secret. No entanto, a Vici Gaming vem pronta para brigar pelas primeiras colocações, até podendo ser considerada como uma das concorrentes ao título.  

Virtus.Pro

Assim como a Spirit, a Virtus.Pro traz para o The International 10 uma formação totalmente renovada e recheada de novos talentos da região. A equipe se formou na antiga VP.Prodigy e foi elevada para a principal no fim de 2020, com o hard carry Egor “Nightfall”, o mid laner “Danil “gpk”, o offlaner Dmitry “DM” e os suportes Vitalie “Save-” e Illias “Kingslayer”.

A equipe simplesmente não tomou nenhum reconhecimento da região. Terminando ambas as temporadas da liga do leste europeu em primeiro e sem perder nenhuma série. No entanto, os resultados internacionais deixam um pouco a desejar, mas se pode questionar o quão motivado estava a equipe durante as Majors, já com a sua vaga no TI praticamente garantida. Assim se espera grandes jogos e um bom resultado da jovem equipe do leste europeu.

Jogos da SG

A fase de grupos começa na manhã do dia 7, quinta-feira, e termina na tarde do dia 10, domingo, enquanto os playoffs começam no dia 12, terça-feira, e a grande final será no dia 17, domingo. A SG faz sua estreia no dia 7 contra a Vici Gaming, às 10:00h BRT. Confira abaixo todas as partidas dos brasileiros:

  • SG x Vici Gaming – Fase de grupos – 07/10 às 10:00h BRT
  • SG x Fnatic – Fase de grupos – 08/10 às 04:00h BRT
  • SG x Secret – Fase de grupos – 08/10 às 08:00h BRT
  • SG x Beastcoast – Fase de grupos – 08/10 ao 12:00h BRT
  • SG x Elephant – Fase de grupos – 09/10 às 06:00h BRT
  • SG x PSG.LGD – Fase de grupos – 09/10 às 10:00h BRT
  • SG x Quincy Crew – Fase de grupos – 10/10 às 04:00h BRT
  • SG x Team Spirit – Fase de grupos – 10/10 às 08:00h BRT

Onde Assistir

O The International 10 terá uma super equipe de talentos, com os principais nomes da narração de língua portuguesa, e tudo será transmitido no canal oficial do torneio na Twitch.

Você conhece a Cyber.bet?

A Cyber.bet é um dos maiores sites para apostas em esports do mundo e fechou uma parceria com o The Clutch para trazer aos nossos leitores uma super promoção. Qualquer depósito até R$ 600 receberá um bônus de 100%. Mais dinheiro, maiores os ganhos!

Gostou? Então clique aqui e receba seu bônus agora!

spot_imgspot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img