Com classificação para Roterdã, Besiktas fem. agarra oportunidade com unhas e dentes

É bem verdade que a DreamHack Open Rotterdam está longe de ser a principal competição do cenário. Entretanto, um torneio que reúne quatro equipes que passaram pelo StarLadder Berlin Major 2019 merece a devida atenção.

Entre os oito times classificados para o torneio, um deles vai tentar agarrar com unhas e dentes a oportunidade de disputar uma competição de elite. Este é o time feminino da Besiktas Esports.

Ele é um dos classificados para o evento, que conta com o finalista do último Major do ano, AVANGAR. O feito das meninas se torna ainda mais especial porque essa será a primeira vez que uma equipe totalmente feminina vai participar de um evento desse porte na história da DreamHack.

Para garantir seu lugar em Roterdã, o elenco precisou vencer um outro torneio classificatório e disputou a vaga com outras sete equipes, todas femininas. A Besiktas conquistou o título de campeã da DreamHack Showdown e faturou o prêmio de US$ 50 mil (cerca de R$ 200 mil, de acordo com a cotação atual).

O título garantiu um ‘spot’ direto na competição, que vai contar com AVANGAR, CR4ZY, DreamEaters, forZe, Heroic, HAVU Gaming e Asterion. Com início no dia 18 de outubro, o torneio será realizado até o dia 20 do mesmo mês. No total, a premiação será de US$ 100 mil, sendo metade desse valor apenas para a equipe vencedora.

Preparação para a DreamHack

E haja ansiedade até a estreia em Roterdã. Sem saber quem vão enfrentar na primeira rodada, as meninas precisarão inventar táticas para não roerem as unhas na espera do torneio. E se há quem indique unhas de gel, recomendadas para quem tem o vício, a lineup da Besiktas Esports optou mesmo foi pelo treinamento, para deixar a mira afiada até a competição e tentar competir de igual para igual.

Equipe comemora classificação para a final da DreamHack Showdown. (Divulgação/DreamHack)

Enquanto o dia da estreia não chega, as meninas tentaram a classificação para outro torneio, porém sem a mesma sorte da DH Showdown. A line-up terminou em segundo lugar no classificatório e, por pouco, não conseguiu uma vaga para a GIRLGAMER Esports Festival 2019. Com ou sem unhas em gel, a equipe não foi capaz de passar pelo time feminino da Copenhagen Flames na grande decisão.

Com quatro equipes no qualifier, a Besiktas mostrou poder de superação após perder a primeira partida e cair para a chave dos perdedores. E se superou pelo menos até a grande final. Em uma melhor de cinco, elas não conseguiram derrotar a CPH Flames e perderam por 3 a 2. De qualquer forma, a não ida para a competição não é motivo para o time capitaneado por Julia “juliano” Kiran se envergonhar.

Criado em 2018, a Besiktas está sempre figurando nas primeiras colocações daquilo que disputa. Além do título da DreamHack Showdown, a equipe ficou em quarto lugar no GIRLGAMER Esports Festival 2018, em terceiro no Copenhagen Games 2019 e ficou também com o bronze no Intel Challenge Katowice 2019, quando jogou ao lado das brasileiras da paiN Gaming. Os elencos não chegaram a se enfrentar, no entanto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias