Um dos destaques da W7M Gaming, Rafael “raafa” Lima nos concedeu uma entrevista, onde fala um pouco sobre a temporada de 2018, mudanças na equipe e os principais objetivos para o ano de 2019.

Para a galera que não conhece o seu trabalho e não conhece você, quem é o raafa?

Sou o raafa, tenho 24 anos e cursei 4 semestres de desenho industrial, mas tranquei por causa do CS:GO, para que eu pudesse me dedicar mais tempo ao jogo. Comecei a jogar CS:GO em 2013/14 e hoje faço parte da W7M há 1 ano. Faz cinco anos que eu jogo e profissionalmente tem dois anos.

[the_ad id=”11214″]

E como foi seu primeiro contato com o esporte eletrônico?

Eu comecei a jogar o CS 1.6, cheguei a jogar alguns campeonatos em LAN até que o jogo começou a ter menos campeonatos. Então fui para o League of Legends, cheguei a jogar em um time, mas nada profissional. Até que o CS:GO começou a ter algumas atualizações que foram melhorando o jogo e estou aqui até hoje.

Em relação a sua família quando você começou a jogar profissionalmente, eles foram contra ou a favor?

No começo eles não apoiavam muito, preferiam que eu seguisse um caminho mais tradicional, estudar para uma outra profissão. Até hoje eles não entendem muito o que eu faço e não são muito ligados nessa área de tecnologia, mas mesmo assim ficam felizes porque estou fazendo o que eu gosto.

Quando que você descobriu qual seria a sua função dentro do CS:GO e qual é a sua rotina de treinos?

Eu sempre gostei muito de jogar de AWP. Não jogava muito com ela no 1.6, mas no CS:GO eu comecei a jogar mais. Meu treino é jogar bastante DM, aimbotz e mapas pra AWP.

Como que você avalia o ano de 2018 da W7M e qual o maior objetivo de vocês agora em 2019?

2018 teve muitos altos e baixos. Começamos bem no início do ano, mas no meio do ano jogamos muito mal e fizemos várias mudanças. Em outubro voltamos a jogar bem de novo, vencemos a BGC, o campeonato da Logitech Brasil, 2º lugar na GC Masters. Cometemos alguns deslizes no fim do ano, perdendo alguns qualificatórios e torneios que davam vagas a campeonatos internacionais.

Em 2019, nosso objetivo é ganhar todos os campeonatos e tornar o nosso time o melhor time do Brasil.

[the_ad id=”11214″]

O que muda com a saída do RMN e a entrada do realzin?

O realzin dá um gás novo para o time, foi uma boa mudança e fizemos a escolha certa.

O que achou das mudanças recentes na Liga Pro da Gamers Club?

A minha primeira impressão foi negativa, pelo fato de que perder uma MD3 diminui as chances de avançar no campeonato. Mas o fato de ter duas GC Masters no ano e fazer a Liga Pro no formato semestral foi algo bacana.

Pensando no cenário nacional, quais equipes podem dar mais trabalho?

Eu considero Sharks e Imperial como dois times muito fortes no Brasil.

Falando das promessas do cenário, a sua equipe tem o pancc que despontou no último ano e virou destaque. Que outros talentos surgirão nessa temporada?

Na minha opinião, o biguzera que está jogando na ex-Team Wild é uma das maiores promessas do cenário nacional.

Para finalizar, deixe seus agradecimentos.

Eu quero agradecer a vocês que me deram esse espaço, a W7M que dão todo o suporte, agradecer aos caras do meu time e todos os fãs que apoiam a gente.

Deixe seu comentário