França bane termos estrangeiros como streamer e esports

Foto: Reprodução/HLTV

O Governo da França publicou, nesta semana, uma lei um pouco inusitada. Agora, os oficiais do estado não podem utilizar estrangeirismos relacionados aos esportes eletrônicos em documentos oficiais, como os termos esports e streamer. A intenção é trabalhar para manter um purismo da língua francesa.

A decisão, no entanto, encontra alguns desafios em termos específicos como streamer, que não tem uma tradução fácil. Neste caso, agora, a palavra foi substituída por “joueur-animateur en direct”, que em uma tradução literal seria algo como “jogador-apresentador ao vivo”. Outras, como pro-player, recebem uma substituição simples e direta para “joueur professionnel”, que nada mais é do que “jogador profissional”.

Esports, por sua vez, será chamado de “jeu video de competition”, que em português ficaria algo como “videogame competitivo”.

+ Medalhista olímpica cria espaço na Rocinha para treinar jovens nos esports
+ NVIDIA e Asus anunciam monitor de 500 Hz voltado para os esports

Segundo o Ministro da Cultura da França, o setor de games está repleto de anglicismos que podem agir como “uma barreira de entendimento” para indivíduos que não sejam considerados gamers. Por enquanto, a nova legislação se aplica somente aos funcionários do estado e diz respeito à substituição dos termos estrangeiros em publicações oficiais do governo da França.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.