Jogador de Free Fire banido por hack entra na justiça contra Garena e perde ação

A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) reiterou uma decisão de primeira instância que autorizava a Garena a manter a suspensão de um jogador de Free Fire pelo uso de programas terceiros que alteram a integridade do jogo. O player ajuizou processo contra a plataforma alegando que havia sido suspenso de maneira arbitrária, sem justificativa.

No entanto, após a análise das provas apresentadas pela defesa, o TJMG aceitou o argumento da Garena e negou o pedido do jogador de 23 anos. Para a turma julgadora, não ficou demonstrada qualquer ilegalidade na exclusão da conta.

+Free Fire: Garena apresenta nova ilha de treinamento
+Free Fire: Los Grandes lidera início da Season 5 da Liga NFA

O jogador afirma que foi suspenso e teve seu celular bloqueado sem justificativa, prejudicando a sua posição nas partidas ranqueadas e inviabilizando o acesso a skins e outros itens do jogo. Após analisar a liminar, a juíza Marcela Decat de Moura, da 2ª Vara Cível, Criminal e de Execuções Penais de Mariana, manteve o bloqueio da conta. Ela afirmou que o usuário foi excluído pelo descumprimento dos termos de uso aceitos no ato de instalar o jogo e criar sua conta.

Depois do jogador recorrer contra a decisão, o relator do agravo de instrumento – nome dado ao recurso jurídico utilizado – desembargador Adriano de Mesquita Carneiro, teve o mesmo posicionamento. Carneiro alega que conforme as provas apresentadas, a conta foi suspensa pelo uso de softwares suspeitos ou não autorizados dentro do jogo. O desembargador ainda cita documentos que mostram que o jovem foi “prontamente atendido” pela Garena nas três oportunidades em que questionou o banimento.

Em sua decisão, o relator também citou argumento da empresa de que o sistema anti-cheat identificou sete tentativas de burlar o jogo na conta, em data próxima ao bloqueio. Não fosse o suficiente, o jogador recebeu 43 reportes de adversários durante o período de análise.

spot_imgspot_img

3 COMENTÁRIOS

  1. kkk. também jogo e sei o quanto é ruim entrar em uma partida e me deparar com pessoas que não sabem competir e precisa de uso de programas para se tornar bom.
    Foi muito bem feito e acho que não deve dar direito a essa pessoa pois ele assumiu o risco quando decidiu usar o programa ilicito.

  2. kkk. também jogo e sei o quanto é ruim entrar em uma partida e me deparar com pessoas que não sabem competir e precisa de uso de programas para se tornar bom.
    Foi muito bem feito e acho que não deve dar direito a essa pessoa pois ele assumiu o risco quando decidiu usar o programa ilicito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui