LoL: Evil Geniuses é acusada de não cuidar da saúde mental dos jogadores

Evil Geniuses LoL
Foto: Colin Young-Wolff/Riot Games

Resumo

  • Segundo apuração do site Dexerto, a EG negligenciou os problemas de saúde mental de Danny, atleta que atuou no time de LoL da organização ao longo de 2022;
  • Diversas fontes que trabalharam dentro da EG foram ouvidas sob condição de anonimato.

Segundo apuração do site Dexerto, a Evil Geniuses está sendo acusada de negligência à saúde mental dos seus jogadores. O foco é no caso de Kyle “Danny” Sakamaki, atleta que fez parte do time de League of Legends da organização ao longo de 2022.

O Dexerto ouviu diversas fontes que trabalharam dentro da Evil Geniuses durante o período dos ocorridos e que aceitaram falar sobre o caso sob a condição de anonimato.

anúncio betboomanúncio betboom

+Riot distribuirá drops nas próximas transmissões do CBLOL 2023
+Jime foi a streamer de LoL mais assistida do Brasil em fevereiro

Em 2022, Danny foi campeão do primeiro split da LCS (liga norte-americana de LoL) com a EG e em seguida terminou o MSI (Mid-Season Invitational) daquele ano como semifinalista. No segundo split da LCS, a Evil Geniuses voltou a aparecer nos playoffs, mas não teve participação de Danny em determinada etapa da competição por conta de seus problemas de saúde.

EG campeã do primeiro split da LCS 2022 – Foto: Reprodução/Riot Games

Foi durante esse período que as pessoas que trabalharam próximas ao atleta narraram os problemas enfrentados por ele em relação a sua saúde mental e a negligência da EG em relação a isso.

De acordo com relato de fontes, quando o jogador voltou para sua casa em uma das pausas do competitivo, sua família o levou direto ao hospital, porque ele estava sofrendo de desnutrição.

As fontes ainda informam que isso aconteceu apesar dos avisos dos jogadores e de outros profissionais que trabalhavam no time em relação às condições de Danny.

Também foi informado que Danny foi diagnosticado dentro do espectro autista e que isso faz com que ele tenha mais dificuldade ao lidar com estresse.

“Inicialmente, a organização tinha ciência da condição dele e fez o que pôde para ajudá-lo. Muitos dos problemas de Danny pioraram com o estresse. Então, por exemplo, eles até contrataram um treinador para trabalhar especificamente com ele. Ao longo do tempo, a diretoria parecia cada vez menos interessada em ajudá-lo a lidar com a pressão e, eventualmente, a estratégia deles era esperar que o problema fosse embora apesar dos treinadores e jogadores dizendo que ele precisava de ajuda”, afirmou uma das fontes.

À medida que a situação de Danny piorava, a diretoria da EG incentivava os treinadores e jogadores a não tocar no assunto, sem oferecer soluções. E de acordo com uma das fontes, um dirigente chegou a dizer que “é isso que acontece quando se tem um jogador autista”.

Em meio a tudo isso, foi dito que Danny expressou vontade de se aposentar do competitivo diversas vezes.

Depois da repercussão do caso, Danny se manifestou no seu Twitter na segunda-feira (27) negando a veracidade das acusações direcionadas à EG.

“Há muitas notícias por toda parte e quero dizer que a responsabilidade é toda minha e que as acusações em relação à EG não são verdadeiras. A verdade é que a pressão de ser um profissional de esports me sobrecarregou ao limite e a EG me apoiou em todos os momentos”, disse.

No post, Danny também diz que agora passa a ser criador de conteúdo dentro da Evil Geniuses.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

melhores cassinos online melhores cassinos online