VALORANT: Veja em detalhes o duelo entre Gamelanders e Estral

A primeira rodada dos playoffs da Evolution Open de VALORANT reservou grandes emoções, principalmente para os brasileiros. O torneio foi palco do embate entre Gamelanders, campeã da Série Ignição no Brasil, e Estral Esports, bicampeã da série na América do Sul. Um confronto entre campeões da Série Ignição era algo que ainda não havia acontecido no competitivo do FPS da Riot Games.

Por isso, nossos redatores Wesley Pereira e Rafael Ferreira fizeram uma análise da partida e trouxeram alguns pontos importantes sobre este confronto que entrou para a história recente do VALORANT mundial.

Em Ascent, tanto Gamelanders quanto Estral trouxeram composições bastante similares, com exceção de dois agentes: Sage para os brasileiros e Breach para os latino-americanos.

  • Composição da Estral Esports: Saadhack (Cypher), Nzr (Sova), Pelé/Puleule (Breach), NagZ (Jett) e Leazo (Omen)
  • Composição da Gamelanders: mwzera (Jett), Nyang (Omen), Fznnn (Sova), Jhow (Cypher) e Jonn (Sage)

Estral Esports 4 – 0 Gamelanders

No quinto round da partida, a Gamelanders vinha com a proposta de direcionar seus ataques pelo meio, em direção ao Jardim para o bombsite A. Neste momento em específico, os brasileiros dominaram esta área do mapa após uma boa ultimate de Fznnn pelo corredor do site A.

No entanto, mesmo que a Gamelanders tenha conquistado área do Jardim, o bom posicionamento do Breach adversário, que com sua ultimate garantiu mais de um abate, forçou o recuo dos brasileiros, que viram mais um ponto escapar de suas mãos.

Estral Esports 7 – 1 Gamelanders

Pelo oitavo round, a Estral resolveu apostar na inversão em seu setup, com Cypher no lugar do Breach, juntamente com o Sova no bomb B. Assim, saadhak consegue espaço após o uso da Falha Tectónica na entrada da garagem sentido lado atacante.

A abertura feita pelo Breach também forçou o recuo da Gamelanders. Os brasileiros tentaram forçar uma entrada rápida para o bomb B com o Cypher e a Jett, aproveitando o espaço obtido pelo restante do grupo pelo meio/mercado.

No entanto, após uma flash cirúrgica de Puleule, saadhak conseguiu dois abates naquela área e mais um na entrada do mercado, colocando o ataque da Gamelanders em cheque.

Estral Esports 8 – 1 Gamelanders

Mudando sua dinâmica dentro da partida, a Gamelanders opta por atacar diretamente o bombsite A através do corredor. Embora a Estral esteja bem posicionada para um possível avanço, o elenco sul-americano não contava com a expertise de mwzera, ao conseguir um ótimo combo com sua Jett, eliminando o adversário e garantindo o domínio da região.

Estral Esports 8 – 3 Gamelanders

No último round antes da virada de lado, a Estral opta por jogar um pouco mais avançada pelo meio, com apenas o Sova defendendo o bomb site B. Contudo, eles acabaram surpreendidos pela jogada realizada por Jonn e sua Sage.

Ao utilizar sua barreira em cima da caixa onde fica localizada o orbe de ultimate, o jogador da Gamelanders conseguiu um retake importante em cima do NagZ, na entrada do mercado e revivendo mwzera, para ampliar a vantagem numérica no ataque. Na sequência, o Nyang fez bom uso de sua ultimate para ganhar informação dentro do bombsite B para conseguir o espaço necessário para o plante da Spike.

+ VALORANT: Conheça os classificados para a Gamers Club Ultimate
+ VALORANT: Gamelanders faz história e vence série sem perder uma rodada

Estral Esports 9 – 4 Gamelanders

Após garantir o round de pistola, a Estral veio para um armado contra a Gamelanders (agora no lado defensivo). Após obter algumas informações no mapa, os sul-americanos decidem ir com os cinco jogadores para o bombsite B.

Porém, a Gamelanders conseguiu fazer boa leitura do ataque adversário, com bons abates de Jonn e Fznnn. Vale destacar aqui também o posicionamento de Jhow e mwzera, que estavam dentro do bombsite B apenas esperando o avanço da Estral. Restando apenas o Nozwerr vivo, os brasileiros conseguiram uma rodada importante em um anti-forçado muito bem executado.

Estral Esports 10 – 11 Gamelanders

Após realizar grandes defesas, a Gamelanders conseguiu não só consegue o empate no mapa como também a virada. Ciente de que não poderiam deixar o map point ir para as mãos dos brasileiros, a Estral recorre à ultimate de Puleule, o suficiente para tirar os defensores de suas posições, dando o espaço necessário para atacar o bombsite A.

Estral Esports 12 – 11 Gamelanders

Com o map point nas mãos, o elenco da Estral optou por um rápido domínio ao bombsite B, conseguindo a eliminação em cima do Jonn. Entretanto, a Gamelanders rapidamente se reposicionou no mapa.

Após o Jhow utilizar a ultimate de seu Cypher, a Estral se viu encurralada, já que todos os jogadores estavam no bombsite. A informação obtida pelo brasileiro foi o suficiente para a equipe empatar o mapa e garantir a prorrogação.

Prorrogação

Durante a prorrogação, a Gamelanders apostou num ótimo avanço pelo meio/mercado com Jonn e mwzera, com o restante do time caminhando rumo à garagem, com foco total no bombsite B.

Mesmo com os retakes da Estral, o elenco brasileiro conseguiu o domínio do local, levando o primeiro ponto do overtime. No round seguinte, os sul-americanos não conseguiram fazer bons avanços para nenhum dos bombsites.

Vendo o tempo passar, a Estral tentou apostar num ataque de última hora para o site B, porém não contavam com o bom posicionamento de Jonn, restando para aos hermanos verem a Gamelanders garantir a vitória no primeiro embate entre campeões de Série Ignição de diferentes regiões do VALORANT.

Considerações finais

Com base no que foi apresentado nesta partida, podemos entender a importância da Sage em determinados momentos em Ascent, principalmente para o lado atacante. Além disso, o Breach também pode ser considerado uma grande força neste mapa, principalmente por suas utilitárias que, se bem utilizadas, podem mudar o rumo da partida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas notícias