Wild Tour Finals: “Esperávamos algo equilibrado”, diz SuitS após vitória dominante sobre a Liberty

wild tour finals
Foto: César Galeão/Riot Games Brasil

Primeira finalista do Wild Tour Brazil, a Omegha Esports está a um passo de conquistar o título brasileiro e a vaga direta para a fase de grupos do Icons, Campeonato Mundial de Wild Rift. Em entrevista exclusiva com o The Clutch, os jogadores Patrick “SuitS” Castelanno e Saulo “Benignus” Marcelino conversaram sobre a série contra Liberty, na qual a Omegha venceu neste sábado (7).

SuitS disse que esperava que o embate contra a Liberty, vencido de forma dominante pela Omegha, por 3-0, fosse mais equilibrado.

anúncio betboomanúncio betboom

“Esperávamos algo equilibrado. Para gente era uma incógnita, porque eles têm um estilo muito claro e nós temos o nosso, e não sabíamos quem seria o melhor disso daí. A gente estava firme e indo nesse estilo contra eles e acabou que deu certo”, disse o jogador.

Benignus, MVP da série contra a Liberty, afirma que esperava mais agressividade do adversário, mas pondera que a Omegha se preparou melhor para o embate.

“Quando a gente joga contra a Liberty, espera-se um time muito agressivo em todas as rotas. Fizemos o planejamento certo contra eles, não tomamos muita pressão, não demos abertura e acabou que nossa composição ao longo do tempo foi melhor. No geral, foi confortável a série”, contou o caçador.

Mesmo tendo sido o destaque, Benignus afirma que o time todo trabalhou para conquistar o resultado e exalta a confiança de seus companheiros nele.

“Acho que não foi só eu, o time todo deu essa condição [de vitória]. Todas as composições foram voltadas para mim e acho legal essa confiança que o time colocou em mim, além do desempenho de todos”, destacou.

Equipe da Omegha Esports durante o Wild Tour Finals (Foto: César Galeão/Riot Games Brasil)

A respeito das composições iniciais, o mid laner comentou que a paciência foi o grande ponto para se dar bem contra o adversário. Ele também destaca o fato de precisar deixar algumas coisas de lado para conseguir chegar no ponto crucial da composição.

“Acredito que o principal para fazer um jogo bom com Olaf e esses outros personagens foi a paciência. A gente tinha bonecos que, às vezes, precisavam ‘skippar’ algumas coisas e lutar só no ponto deles, com a composição ‘spikada'”, pontuou.

Ainda sobre a escolha de Olaf, Benignus destaca a sinergia entre o campeão e a Ashe, ressaltando os pontos fortes e fracos do caçador e a importância da atiradora na execução das composições.

“O Olaf é um campeão que consegue farmar muito rápido, que consegue crescer naturalmente. Mas sua única fraqueza é gankar, porque que ele só anda reto. Com um stun targetado, tipo o da Ashe, fica muito mais fácil dele entrar no jogo e ficar forte. Com essa composição, é só correr pra cima”, explicou.

Além disso, SuitS também comentou sobre a atmosfera de jogar em frente à plateia: “É uma parada muito maneira e, ao mesmo tempo, tem uma pressão, pois tem sempre um grito no fundo da comunicação, mas é maneiro”.

Em sua primeira participação em finais presenciais com público, Benignus também destacou um pouco do nervosismo, mas afirma que o apoio da torcida ajudou o time a ficar mais tranquilo ao longo da série.

“Nunca tinha jogado com público, é minha primeira partida. É um pouco nervoso, muito barulho, fica vazando no microfone. Mas quando se tá ganhando é bem melhor, tem menos pressão e todo mundo gritando Omegha passou bastante confiança para o time. Foi bom para o psicológico de todos, mas estávamos com receio”, contou o caçador.

Vice-campeão em 2021 com a Só Agradece, o jogador tem mais uma oportunidade para chegar ao topo do Brasil. Para ele, conquistar o Wild Tour pela Omegha é poder compartilhar a alegria de serem os melhores do Brasil.

“Quero muito. Estou em um ambiente familiar e espero compartilhar da alegria de ganhar com eles”, disse SutiS.

SuitS, da Omegha, em ação contra a Liberty no Wild Tour Finals (Foto: César Galeão/Riot Games Brasil)

Por fim, embora estejam classificados para o Icons, o objetivo da Omegha atualmente é um: vencer o Wild Tour e garantir-se direto no evento principal em Madri.

“O foco por enquanto é ganhar aqui, pois tem três coisas que estão em jogo: o título, a vaga na fase de grupos [do Icons] e o dinheiro [risos]”, finalizou SutiS.

A Omegha Esports volta a jogar neste domingo (8), em série melhor de sete (MD7) pelas finais do Wild Tour. O embate será transmitido nos canais oficiais da Riot Games Brasil no YouTube e na Twitch.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

melhores cassinos online melhores cassinos online