CS:GO: “Vou esperar até o fim do ano pra ver”, diz coldzera sobre permanência na Complexity

spot_imgspot_img

Em entrevista publicada pelo HLTV nesta terça-feira (12), Marcelo “coldzera” David levantou dúvidas quanto ao seu futuro na Complexity. Isso porque o jogador afirma que irá esperar até o final do ano para se decidir sobre, mas que pessoas estão falando com ele atualmente.

+ CS:GO: MIBR é eliminado da REPUBLEAGUE após desistir de confronto
+ CS:GO: drop pode se tornar o brasileiro mais jovem a disputar um Major

“Claro. Se der certo, acho que eles vão querer tentar me manter. Mas ao mesmo tempo, só vou ver no final do ano se eles vão gostar ou não, porque eu já tenho coisas novas. As pessoas ainda estão falando comigo e eu posso querer me juntar a elas. Eu ainda quero dar uma chance à Complexity. Tenho gostado de jogar com eles, são pessoas super legais e trabalham duro. Vou esperar até o fim do ano para ver”, afirmou o jogador.

Coldzera também comentou do peso que o técnico também brasileiro, Luis “peacemaker” Tadeu, exerceu na negociação do jogador com a equipe europeia.

“Eu tinha vários times, especialmente times brasileiros, tentando conversar comigo para me juntar à eles, mas ao mesmo tempo, eu queria tentar jogar com o Luis [peacemaker]. Desde o ano passado, no final do ano, eu estava conversando com o Luis para tentarmos fazer algo juntos, então eu queria testar e jogar um pouco com ele. Eu acho que a escolha de me juntar a Complexity foi por causa do Luis, com certeza”, afirma coldzera.

Ainda sobre o coach, coldzera ainda pontuou que peacemaker propôs que ele jogasse de entry. Isso faria com que ele tivesse mais impacto do lado TR, algo que ele sentiu falta durante à época de FaZe, onde, segundo coldzera, estava perdendo todo seu potencial. Isso porque, na FaZe Clan, coldzera era a âncora dos bombsites, independentemente do lado em que jogava.

“Eu quero tentar coisas diferentes. Desde que me juntei à FaZe, eu sentia que este era o único papel que eu não queria exercer: de âncora no bombsite. Não gostava muito, pois não podia ser muito ativo. Mas quando você é entry, você pode fazer coisas diferentes […] Na FaZe, eu estava apenas sentado em uma posição, não tendo muito impacto como uma âncora e eu estava funcionando como âncora do lado de CT também, então isso era algo que eu não gostava também. Eu perdi todo meu potencial fazendo isso. Então eu gostei quando o Luis chegou em mim com essa ideia”, comentou cold.

A entrevista foi publicada pela HLTV na manhã desta terça-feira, momentos antes da estreia da Complexity na BLAST Premier Fall Showdown 2021, onde a equipe de coldzera bateu a MIBR em um 2×1 apertado para seguir na competição.

Você conhece a Cyber.bet?

A Cyber.bet é um dos maiores sites para apostas em esports do mundo e fechou uma parceria com o The Clutch para trazer aos nossos leitores uma super promoção. Qualquer depósito até R$ 600 receberá um bônus de 100%. Mais dinheiro, maiores os ganhos!

Gostou? Então clique aqui e receba seu bônus agora!

spot_imgspot_img

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img