Riot Games veta TSM de usar o nome da FTX em seus jogos

A Riot Games vetou a TSM de usar o nome de seu novo patrocinador, FTX, empresa de Hong Kong do ramo de criptomoedas, em campeonatos de League of Legends (LoL) e VALORANT. A informação foi revelada pela desenvolvedora ao Dot Esports. A parceria foi anunciada nesta última sexta-feira (4), rendendo cerca de R$ 1 bilhão para a equipe norte-americana.

+ Cruzeiro anuncia volta da divisão de esports
+ Black Dragons será responsável pela gestão do Vasco Esports
+ Startup compra 38% da B4 e organização anuncia elencos de FIFA e Wild Rift

A razão disso se dá por conta de uma violação às diretrizes da Riot em torno de parceria com exchanges de criptomoedas. Desse modo, a TSM não pode utilizar o nome FTX na LCS e no VALORANT Champions Tour. Além disso, a organização também está impedida de usar a marca do patrocinador em seu uniforme nos campeonatos da Riot Games.

“O acordo de patrocínio da TSM e FTX não quebra nenhuma regra de patrocínio da LCS, mas as exchanges de criptomoedas se enquadram em uma categoria de patrocínio que possui restrições de ativação”, contou Chris Greeley, chefe de Esports da Riot Games, ao Dot Esports. “Como resultado, o acordo de nomeação da TSM e a colocação da marca FTX nas camisas não se aplicarão à LCS ou a outros esports da Riot Games na América do Norte”, completou.

No Reddit, Andy “Reginald” Dihn, CEO da TSM, afirmou que, mesmo com essas restrições da Riot Games, a FTX continuará a investir em seus elencos de League e VALORANT.

“O contrato contempla que o nome não será exibido nas transmissões e nas camisas de LoL e VALORANT, mas a FTX continuará patrocinando nossos jogadores de LoL e VALORANT por meio de criação de conteúdo, mídia social, streaming e eventos físicos”, disse o dirigente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img