Virtus.Pro pode voltar a usar seu nome nos torneios em breve, diz CEO

Foto: Reprodução/PGL Major

A Virtus.Pro deve voltar a usar seu nome nas competições em breve, pelo menos é o que aponta Sergey Glamazda, CEO da organização. Em vídeo publicado nesta sexta-feira (29) no canal do YouTube, o executivo falou sobre o diálogo que está tendo com as organizadoras de campeonatos.

“Temos um diálogo com muitos editores e organizações de torneios. Se no início, nas primeiras duas ou três semanas, o diálogo foi bem quente, agora é bastante simples. Recebemos alguns documentos, como: ‘Pessoal, nós trabalharíamos com vocês, mas não podemos fazer pagamentos por vários motivos, mas se vocês resolverem esse problema, ficaremos felizes em vê-los no torneio'”, disse Glamazda.

O CEO se refere ao fato de que a Virtus.Pro, assim como algumas organizações russas, foi proibida de participar de diversos campeonatos devido ao conflito na Ucrânia iniciado pela Rússia. Neste cenário, os jogadores de Counter-Strike, por exemplo, vem participando dos torneios sob uma bandeira neutra, a Outsiders. Entretanto, a situação parece próxima de uma resolução.

“Durante esse período [últimos dois meses], tivemos uma série de negociações com as equipes, editores, organizadoras de torneio, para entender o que precisamos fazer no terceiro trimestre. Acho que em breve concluiremos todas as tarefas e retornaremos a um plano de trabalho claro, onde poderemos utilizar o nome Virtus.pro”, aponta o CEO.

Equipe da Virtus.pro no PGL Stockholm Major 2021 (Foto: Reprodução/PGL)

Ao contrário da VP, que vem buscando uma resolução para os problemas, a Gambit, que também é baseada na Rússia, vendeu seu time de CS:GO e encerrou operações em outras modalidades. De acordo com o jornalista OverDrive, a saída de patrocinadores foi a principal causa.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.