CBLOL: brTT admite mau desempenho no MSI, mas afirma que tem “muita lenha para queimar”

A estreia do 1º Split do CBLOL está cada vez mais próxima, e a paiN Gaming segue confiante ma busca do segundo título da temporada, o quarto em sua história. Nesta quarta-feira (2), a organização concedeu coletiva de imprensa com alguns dos jogadores para falar sobre as expectativas para o segundo semestre e sobre a passagem do time na Islândia, onde disputou o MSI 2021.

+ CBLOL: Com dois coreanos e Damage, Rensga anuncia elenco para o segundo split
+ Netshoes se une à E-Flix e lança equipe para disputa da LBFF e CBLoL
+ CBLOL: Vorax e Havan Liberty unem forças e criam a Vorax Liberty

A respeito da chegada de Danil “Diamondprox” Reshetnikov, uma das maiores lendas do League of Legends mundial, Marcos “Cariok” Oliveira acredita que o jogador russo possa agregar bastante ao cenário brasileiro e espera um grande embate contra ele na selva.

“Foi uma contratação muito boa por parte da FURIA. Acho que ele [Diamondprox] vai trazer muita experiência para o time, é um cara muito inteligente. Ele será um adversário muito forte, talvez um dos melhores e espero que jogue muito bem”, contou Cariok.

Base mantida para o segundo split

Um dos pontos altos da coletiva foi a manutenção no elenco dos tradicionais. Para Felipe “brTT” Gonçalves, a chance de poder disputar outro torneio internacional na mesma temporada e com a mesma formação é um grande objetivo em sua carreira pessoal.

“Eu acho que o principal para mim vai ser seguir com a mesma line-up para outro torneio internacional. Em dois splits seguidos, tem uma diferença absurda você ir com o time que teve aquela experiência ali, que passou por todas as dificuldades em um torneio internacional. Então, conseguir esse feito de ir pro Worlds com o mesmo elenco será uma experiência que eu nunca passei e que, talvez, falte na minha carreira”, revelou o atirador.

Sobre a preparação do time para a estreia no campeonato, Leonardo “Robo” Souza conta que o grupo voltou a treinar há pouco tempo, mas ainda acredita na força para conseguir os resultados necessários no split.

“Eu acredito que chegaremos um pouco forte, mas para essa primeira e segunda semana talvez a gente não entenda 100% [do meta] ainda, porque viemos do MSI, mudou o patch. Voltamos a treinar essa semana basicamente, então estamos nos adaptando”, disse o topo dos tradicionais.

Na mesma linha de raciocínio do brTT, Thiago “Tinowns” Sartori também destaca a vantagem de manter o elenco para a sequência da temporada, algo que ele não vivia há um bom tempo em sua carreira. Além disso, destacou a boa sintonia entre os jogadores após o MSI.

“Então, fazia um tempo que eu não estava em uma equipe que mantinha a mesma lineup para o próximo split, e acho que para o momento agora está sendo muito bom, porque tivemos um primeiro split não muito bom, foi aos trancos e barrancos, a gente foi melhorando no final. Agora, a gente voltando do MSI, por não ter mudado tanto, com certeza estaremos mais estáveis, todos conhecem uns aos outros e isso vai ajudar a gente para entrar melhor nesse split”, disse Tinowns.

brTT comenta sobre hates e sua atuação no MSI

Mesmo com muita experiência competitiva, brTT revela as dificuldades para lidar com os comentários negativos feitos nas redes sociais em relação ao seu desempenho no MSI.

“É complicado. Eu tento de todas as maneiras me agarrar em coisas que me fazem bem e tento ignorar ao máximo os comentários, essa negatividade toda. Quando eu vejo que a coisa está ficando muito pesada, tento me afastar ao máximo de rede social, porque por mais que eu seja um cara experiente, que já passou por todas as situações possíveis no competitivo, se eu sei que não estou num momento muito bom da minha carreira e acabo lendo certas coisas, para você se afundar é muito fácil”, contou o veterano.

Entretanto, brTT reconhece que poderia ter feito mais pelo time na competição internacional. Apesar do baixo desempenho, ele acredita que existe muito caminho a percorrer rumo ao Campeonato Mundial no segundo semestre.

“Foi muito difícil para mim. Meu rendimento no MSI foi muito ruim e sei que eu podia ter somado muito mais para o meu time, para alcançar o meu objetivo. É a primeira vez que eu vou pra fora e sei que poderia ter feito muito mais para alcançá-lo. Isso foi algo que me deixou muito mal, mas sei que ainda tenho muita lenha para queimar, tem o Mundial para vir, então tento só me blindar de todas as maneiras possíveis, mas muitas das vezes não tem como”, disse o atirador.

A paiN Gaming estreia no 2º Split do CBLOL neste sábado (5), em duelo contra o Flamengo Esports, às 12h do horário de Brasília. A transmissão será feita nos canais oficiais da liga no YouTube, na Twitch e na Nimo TV.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui